Em abril, o NIT protocolou mais dois pedidos de depósito de patente junto ao INPI. Tratam-se de duas invenções contempladas pelo Edital 456/2016 (Edital do Inventor). Com os novos pedidos, o IFSP conta agora com 11 invenções em processo de avaliação para concessão de patente.

Saiba mais sobre os projetos:

Sistema para criação de roteiros, acompanhamento de treinos e análises de desempenho voltados a esportes aquáticos e sensor de toque: este projeto busca auxiliar nadadores durante treinos de natação. A ideia central é composta por um aplicativo que permite que um treinador crie uma rotina de treino com liberdade para inserir qualquer estilo de nado (ex: crawl, apenas perna, costas com nadadeiras) e descarregue esta rotina para um dispositivo eletrônico, montado ao lado da piscina. Com o auxílio de um sensor dentro da piscina, as informações de chegada/saída do nadador são computadas e relacionadas às informações da rotina de treino preparada pelo treinador, fornecendo ao nadador um feedback em tempo real sobre sua performance, estágio do treino, tipo de nado que deve executar, etc. Após o treino, o usuário poderá ainda descarregar estes dados e obter maiores detalhes de seu desempenho através do aplicativo para computador. Formam a equipe responsável pelo projeto: Prof. Afonso Celso Turcato, Prof. Eduardo André Mossin, Prof. Rodrigo Palucci Pantoni, Marcos Paulo Da Silva, Mateus Gasparotti Rossini e Rafael Andrade Dalceno.

Equipamento e processo de medição de torque resistivo para classificação do tônus muscular: tem como integrantes os Profs. Alexandre Brincalepe Campo, Ulysses Fernandes Ervilha (USP), e os discentes Bruno Freitas Freire, Fernanda Maria Bréder Esteves, Fernando Cruz Nakandakari, Ingo Lourenço Sewaybrick e Luana Duarte Gagliardi. Trata-se de um sistema que reproduz a forma como os médicos atualmente medem o tônus muscular nos membros superiores, ou seja, aplicando uma força ao antebraço e analisando características associadas à reação ao movimento que o paciente apresenta. Este equipamento permite inovar a maneira pela qual o médico e o fisioterapeuta realizam o diagnóstico do tônus muscular dos pacientes, tornando o resultado mais preciso e apurado através da análise quantitativa das variáveis mencionadas acima. Potencialmente, pode ser utilizado em laboratórios de pesquisa de controle do movimento humano, biomecânica e engenharia biomédica, bem como em clínicas, consultórios, centros de reabilitação e hospitais.